PSPE
PSPE
23 Out
Operação militar da Turquia no nordeste da Síria tem de ser travada

Operação militar da Turquia no nordeste da Síria tem de ser travada

Sem “meias palavras ou silêncios”, Isabel Santos pediu ao Parlamento Europeu que condene com firmeza a ofensiva militar turca no nordeste da Síria por representar “uma grave violação do direito internacional”.

 

A deputada classificou, durante a sessão plenária de Estrasburgo, os avanços da Turquia em território sírio como uma “ameaça à estabilidade e segurança da região” motivando “a deslocação forçada de populações fragilizadas por um longo conflito” e “abrir de portas a um possível ressurgimento do DAESH”.

 

A iniciativa do Conselho Europeu de embargar o fornecimento de armas “não basta” e na opinião de Isabel Santos deve alargar-se “a todos os fornecimentos em curso, adotando sanções dirigidas a indivíduos que direta ou indiretamente estejam implicados em violações de direitos humanos e a interesses económicos”.

 

A União Europeia “não pode apoiar qualquer operação de reengenharia social” e deverá continuar a prestar apoio humanitário aos refugiados sírios e aos países vizinhos que os acolhem, mas “rejeitamos qualquer operação de retorno forçado”.

 

Durante o mesmo debate parlamentar, Margarida Marques sustentou que “não há uma solução militar”. A União Europeia tem que “agir a uma só voz e mobilizar a sua influência trabalhando com as Nações Unidas para alcançar a paz nesta região do Mundo tão massacrada.

 
 
 

Inscreva-se e receba notícias dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu