Nigéria: É urgente implementar estratégia de combate ao terrorismo

Nigéria: É urgente implementar estratégia de combate ao terrorismo 17.01.2020

Os recentes ataques terroristas na Nigéria “reforçam a urgência da implementação da estratégia de combate ao terrorismo pelo Estado, estabilizando o território, protegendo os seus nacionais, muçulmanos e cristãos, dos radicalismos islâmicos e impedindo que as autoridades policiais continuem a ser cúmplices ou atores nos crimes contra a humanidade”, afirmou Carlos Zorrinho, Presidente da Delegação do Parlamento Europeu para a África, Caraíbas e Pacífico.   “É urgente capacitar a sociedade civil e as organizações não governamentais que trabalham no terreno para responder à má nutrição e assegurar cuidados de saúde básicos, sobretudo às mulheres grávidas e às crianças” apelou.

 

 

Falta de liberdade de expressão no Burundi

Falta de liberdade de expressão no Burundi 17.01.2020

No Burundi “a liberdade de expressão, apesar de consagrada constitucionalmente, está em perigo com as prisões e admoestações feitas a quem ousa desalinhar com o discurso oficial ou tão só informar dos factos que não agradam ao poder politico”, descreveu Carlos Zorrinho.   Ao intervir na sessão plenária de Estrasburgo, o deputado destacou o facto de vários jornalistas estarem desaparecidos ou serem impedidos de exercer livremente o seu trabalho.

 

 

Isabel Santos pede eleições livres no Burundi e libertação de jornalistas

Isabel Santos pede eleições livres no Burundi e libertação de jornalistas 17.01.2020

Os assassinatos, torturas e detenções arbitrárias verificadas no Burundi mereceram a reprovação do Parlamento Europeu e Isabel Santos apelou, durante a sessão plenária de Estrasburgo, à libertação dos quatro jornalistas presos no final do ano passado e à realização de eleições em maio.   “O caso do jornalista e seu motorista presos no final de 2019 é apenas mais um, numa longa lista de casos de sérias violações dos direitos humanos.

 

 

Falta consciência social sobre as desigualdades salariais entre homens e mulheres

Falta consciência social sobre as desigualdades salariais entre homens e mulheres 16.01.2020

As desigualdades salariais entre homens e mulheres são “aberrantes e intoleráveis”, sendo necessária uma “estratégia abrangente” que lute “contra os esteriótipos de género, feita desde logo dentro da educação para a cidadania em contexto escolar”, afirmou Isabel Estrada Carvalhais durante o debate parlamentar.   60% da população com qualificações superiores é feminina, “as mulheres continuam sub-representadas nos lugares de gestão e de direção.

 

 

Diferença salarial entre homens e mulheres é de 16%

Diferença salarial entre homens e mulheres é de 16% 16.01.2020

Margarida Marques alertou a Comissária para a igualdade de oportunidades da diferença dos salários entre homens e mulheres durante o debate parlamentar em Estrasburgo. A deputada sublinhou que “há uma diferença de 16%” e “essa diferença salarial tem um enorme impacto no que diz respeito à vida futura das mulheres”, nomeadamente nas pensões.