Brexit: "UE não pode fazer um segundo acordo com quem diz que não vai cumprir o primeiro"

Brexit: "UE não pode fazer um segundo acordo com quem diz que não vai cumprir o primeiro"

14.09.2020

Pedro Silva Pereira considera que a recente proposta de Boris Johnson em aprovar uma lei que viola “ostensivamente” o Acordo de Saída e o protocolo sobre a Irlanda do Norte celebrados com a União Europeia, que inclui o compromisso de assegurar no Mar da Irlanda os controlos aduaneiros necessários para dispensar a reposição de uma fronteira rígida entre as duas Irlandas, "coloca em causa o princípio de boa-fé negocial, não havendo garantias de que o processo possa ter um desfecho positivo em termos de relação futura".

"Esta inaceitável provocação, a manter-se, mina fatalmente as negociações em curso: a União Europeia não pode fazer um segundo acordo com quem diz que não vai cumprir o primeiro", afirma Pedro Silva Pereira.

O Vice-presidente do Parlamento Europeu e membro do Grupo de Coordenação do Parlamento Europeu para o Reino Unido relembra que "o respeito pelo Acordo de Saída é uma pré-condição para qualquer futuro acordo comercial com Londres".

Pedro Silva Pereira considera que a recente proposta de Boris Johnson em aprovar uma lei que viola “ostensivamente” o Acordo de Saída e o protocolo sobre a Irlanda do Norte celebrados com a União Europeia, que inclui o compromisso de assegurar no Mar da Irlanda os controlos aduaneiros necessários para dispensar a reposição de uma fronteira rígida entre as duas Irlandas, "coloca em causa o princípio de boa-fé negocial, não havendo garantias de que o processo possa ter um desfecho positivo em termos de relação futura".

"Esta inaceitável provocação, a manter-se, mina fatalmente as negociações em curso: a União Europeia não pode fazer um segundo acordo com quem diz que não vai cumprir o primeiro", afirma Pedro Silva Pereira.

O Vice-presidente do Parlamento Europeu e membro do Grupo de Coordenação do Parlamento Europeu para o Reino Unido relembra que "o respeito pelo Acordo de Saída é uma pré-condição para qualquer futuro acordo comercial com Londres".