FinCEN: Opacidade e fuga aos impostos

FinCEN: Opacidade e fuga aos impostos

08.10.2020

A Europa “tem de agir, falar menos e fazer mais”, afirmou na sessão plenária de Bruxelas, ao intervir no debate sobre o escândalo financeiro FinCEN, divulgado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas (ICIJ).

“Uma vez mais o escândalo das transferências ilegais de dinheiro através do Mundo, para escapar ao controlo de capitais, para escapar às sanções, sempre com a opacidade e a fuga aos impostos como pano de fundo”, comentou o deputado.

Pedro Marques entende que chegou a hora de a União Europeia avançar para “regulamentação mais dura, mas sobretudo de aplicação obrigatória em todos os Estados-membros” e criar organismos europeus de controlo “com recursos suficientes para agir”.

O deputado não admite que “pelo Mundo continue a haver quem se aproveite da opacidade como fator de competitividade”, pior quanto a União Europeia erra. “Da Europa não precisamos de regulamentação como aquela que levou à decisão do Conselho de retirar as Ilhas Caimão da lista de paraísos fiscais”, disse.

O que “nós precisamos sim, é de sanções mais fortes aos países não cooperantes”, reforçou o coordenador dos Socialistas e Democratas (S&D) na Comissão FISC.