29 de janeiro de 2021
 

Esta semana foi preenchida por múltiplas reuniões de diferentes comissões parlamentares. Entre estas, quero destacar à minha participação nos debates sobre as prioridades da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia nas áreas da política externa e de defesa, com os Ministros Augusto Santos Silva e João Cravinho, respetivamente. Dois excelentes momentos, que nos permitem antecipar algumas das marcas desta presidência.

Isabel Santos

Twitter Facebook

A Comissão Europeia iniciou uma consulta pública sobre “Alterações demográficas na Europa — Livro Verde sobre o envelhecimento”. As mudanças demográficas, juntamente com as alterações climáticas e com as questões da saúde, são um dos grandes desafios do nosso tempo. Aliás, a pandemia mostrou bem a insuficiência da nossa capacidade de resposta. A opinião de todos conta, em busca de uma Europa mais justa e solidária.

Manuel Pizarro
 

Twitter Facebook

Esta semana, celebramos o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Lembramos o lado mais negro da nossa identidade europeia: o extermínio metódico e racional de milhões de pessoas, assente num único fundamento - a sua diferença. Religião, orientação sexual, opção política, deficiência física ou intelectual, tudo foi pretexto para transformar a diferença num anátema que justificou a negação da Humanidade do Outro. É preciso lembrar para não esquecer o quão facilmente podemos cair no engodo da auto-destruição.

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

Reeleição absolutamente inequívoca

Marcelo Rebelo de Sousa, foi reeleito Presidente da República de forma absolutamente inequívoca. Este facto é o essencial das eleições presidenciais de domingo. Podemos acrescentar como aspectos importantes, a afluência às urnas, perante uma série de previsões de um cataclismo abstencionista, ou forma difícil, mas civicamente exemplar, como, no meio de uma pandemia, os portugueses se dirigiram às urnas. E também podemos acrescentar aos aspetos importantes, a visível incapacidade da extrema direita conseguir os objectivos a que se propunha. Mas repito, essencial foi a forma inequívoca como o Presidente da República foi reeleito.

O Presidente Marcelo terá nos próximos cinco anos, um quadro de exigência extrema. O equilíbrio com que conduziu o primeiro mandato, a proximidade aos portugueses e a cooperação institucional, vão ser aspectos ainda mais importantes nos próximos cinco anos. Mas não quero terminar deixando pairar a ideia de que foi irrelevante a votação conseguida pela extrema direita racista e mal educada. Não nos iludamos: a votação que obtiveram merece, por parte de todos os democratas, reflexão, preocupação e uma luta sem tréguas.

Pedro Marques

Twitter Facebook

"Precisamos de uma ação global coordenada, à escala da ameaça que enfrentamos, para construir uma aliança contra o crescimento e propagação do neonazismo e da supremacia branca, e para combater a propaganda e a desinformação."

António Guterres, Secretário-geral das Nações Unidas


À esquerda e à direita, todos os democratas devem aliar-se contra os projetos de extrema-direita, ora claros ora disfarçados, como a história nos ensina que sempre foram.

Maria Manuel Leitão Marques
 

Twitter Facebook

76 anos depois da abertura dos portões do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau ter revelado o imenso horror da operação criminosa de extermínio perpetrada pelo regime nazi, o Parlamento Europeu, numa significativa cerimónia, associou-se ao Dia de Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, que se assinalou no dia 27 de janeiro. Como disse o Presidente David Sassoli, citando Primo Levi: “se compreender é impossível, saber é necessário”. Importa fazer mais para manter viva a memória dessa terrível tragédia. Para que não se esqueça e para que não se repita.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

"A distribuição de vacinas tem de basear-se em princípios de solidariedade e moralidade". Numa semana em que o número de vítimas causado pela pandemia continua a ser dramático e em que tanto se falou na regulamentação da exportação de vacinas e nos atrasos no cumprimento de contratos com farmacêuticas, relembro as declarações do Diretor Geral da Organização Mundial de Saúde. Os deputados europeus já pediram total transparência nos contratos e na distribuição das vacinas. Os países mais pobres não podem deixar de ter acesso à vacinação. Como lembrou a Comissaria Europeia para a Saúde, as vítimas não são números nem estatísticas. São pessoas. Na Europa e fora da Europa.

Margarida Marques

Twitter Facebook

Como Funciona o Fascismo: A Política do Nós e Eles, Jason Stanley, Vogais

O resultado das Presidenciais deixou claro que subestimámos o poder das táticas fascistas. A normalização da extrema-direita e o aproveitamento político num momento difícil, de desordem, caraterizado pela desinformação, colocou a nossa democracia e os nossos valores em ataque e agora em crise. É urgente unir esforços.O fascismo não é coisa do passado. Infiltrou-se no presente. E pode ser o futuro se nada fizermos para o impedir.

Sara Cerdas
 

Twitter Facebook

Se não conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informações consulte a página dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui