Especificidades da Madeira na estratégia “Do Prado ao Prato”

Especificidades da Madeira na estratégia “Do Prado ao Prato”

09.09.2021

Sara Cerdas saúda a aprovação das propostas de alteração que submeteu na nova Estratégia “Do Prado ao Prato”, que têm como objetivo salvaguardar no plano europeu os desafios específicos que as regiões ultraperiféricas (RUP) enfrentam em termos de biodiversidade, produção agrícola e abastecimento de produtos alimentares e matérias-primas.

A Estratégia “Do Prado ao Prato”, aprovada pela Comissão de Saúde Pública, Segurança Alimentar e Ambiente (ENVI) e pela Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (AGRI) do Parlamento Europeu, passará à votação final em plenário durante o mês de outubro.

Sara Cerdas aponta a importância do relatório no panorama regional e nacional, uma vez que a estratégia estará estreitamente interligada, a nível dos seus objetivos, com a futura Política Agrícola Comum (PAC).

“O foco, tal como tem sido desde o momento em que assumi o compromisso de representar os cidadãos no Parlamento Europeu, é defender e salvaguardar as especificidades de Portugal e das nossas ilhas, neste caso em específico o futuro da nossa agricultura, nas iniciativas e propostas legislativas que são desenvolvidas a nível europeu”, afirma a deputada.

Sara Cerdas louva o nível de ambição do relatório no que diz respeito ao reconhecimento do papel que o sistema alimentar sustentável desempenha na transição ambiental. “Cerca de um terço das emissões mundiais de gases com efeito de estufa provêm dos sistemas alimentares, o que significa que ainda existe muito a fazer para reduzir a pegada ambiental e para adequar este setor às metas europeias. Porém, nesse processo, é necessário garantir formação e financiamento para uma transição justa, financiamento esse que tenha em consideração as especificidades de cada região e de cada setor, sem deixar ninguém para trás”, observa.