11 de dezembro de 2020
 

O Grupo de Coordenação do Parlamento Europeu para o Reino Unido, a que pertenço, andou esta semana numa roda viva de reuniões com Michel Barnier e os demais negociadores europeus. Numa semana decisiva para a relação futura entre a União Europeia e o Reino Unido, uma boa notícia: Boris Johnson recuou e desistiu de violar o Acordo de Saída, aceitando realizar no Mar da Irlanda os controlos fronteiriços necessários para fazer cumprir as regras europeias, única forma de evitar uma fronteira rígida entre as duas Irlandas e assim salvaguardar o processo de paz.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

A Comissão Europeia apresentou esta semana o Pacto Europeu para o Clima depois de ter lançado há um ano o Pacto Ecológico Europeu. Pretende-se constituir um espaço de debate e de ação sobre a crise climática, envolvendo cidadãos e organizações da sociedade civil. Não basta que o Mecanismo de Recuperação e Resiliência do Fundo de Recuperação obrigue a que 40% dos montantes sejam canalizados para as questões climáticas. É preciso que cada um de nós esteja cada vez mais sensibilizado para estas questões.

Margarida Marques

Twitter Facebook

O S&D apresentou a sua estratégia para a Conferência sobre o Futuro da Europa. Esta será a oportunidade de criar um debate aberto, inclusivo, transparente e estruturado com os cidadãos europeus. No escopo das prioridades políticas estão os grandes desafios transnacionais, as desigualdades, a saúde e pandemia COVID-19, alterações climáticas, migração, digitalização e tributação justa. Caberá a Portugal, na presidência do Conselho da União Europeia, ajudar a dinamizar o arranque do debate e a participação dos cidadãos.

Sara Cerdas

Twitter Facebook

Portugal e a UE no centro da recomposição geopolítica global

Os negociadores chefes da União Europeia (UE) e dos países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP) anunciaram um acordo político para uma parceria de cooperação alargada entre a UE e os 79 países ACP, designado como acordo Pós-Cotonuo, que vigorará para as próximas duas décadas, em substituição do acordo de Cotonuo. Este anuncio tem uma enorme importância política, económica e social, num momento de reconfiguração da ordem internacional, marcada pela transição americana para uma visão mais aberta das relações externas, pela saída do Reino Unido da UE e por uma forte ofensiva política  e económica da China.

O acordo pós-Cotonuo, que o Parlamento Europeu tem acompanhado de perto, para garantir uma dimensão parlamentar adequada, deverá ser formalizado no quadro da Presidência Portuguesa da UE, na qual também se deverá realizar uma cimeira Europa-África que aprovará uma parceria estratégica entre os dois continentes e uma cimeira Europa – India. Com estas iniciativas Portugal e a UE posicionam-se no centro da recomposição política global.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

"Permitir o usufruto dos direitos humanos por todas as pessoas é um objetivo estratégico da UE"

Josep Borrell, Alto Representante da União Europeia

Esta frase do Alto Representante da União Europeia está no âmago da razão pela qual foi aprovado esta semana o regime global de sanções da União Europeia para violações dos Direitos Humanos. Através dele a União Europeia vai poder, pela primeira vez, sancionar os responsáveis por violações graves dos Direitos Humanos em todo o mundo. Tenho lutado por esta decisão pois julgo que é fundamental equipar a UE com as ferramentas adequadas à defesa dos seus valores.

Isabel Santos

Twitter Facebook

Um grande passo para a humanidade: uma senhora inglesa, de 90 anos, de seu nome Margaret, é a primeira pessoa a receber a vacina da Pfizer contra a Covid-19. Nos próximos meses todos nos poderemos vacinar. Isso é essencial para derrotar a pandemia e para que nos possamos concentrar no combate pela recuperação económica e social. É especialmente importante que a vacina chegue rapidamente aos mais velhos, que têm risco especialmente elevado e que sofrem de forma desproporcionada com o impacto real e emocional da pandemia.

Manuel Pizarro

Twitter Facebook

Recuo a 2007, Portugal assumia a presidência numa altura frágil onde a pré-crise financeira, a pré-crise dos refugiados e a realidade das fortes adesões à União Europeia de 2004 foram marcantes. Volto a 2020 e Portugal está novamente ao comando da Europa para um futuro de ações consequentes, num momento em que atravessamos uma crise pandémica resistindo com uma vacina, procura também gerir as suas economias evitando a recessão, e ainda atenuar os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia. É esta a nossa missão, estimular de modo positivo mentalidades e comportamentos, que com o esforço e atitudes certas, farão chegar a bom porto uma Europa mais participativa e unida. O slogan é simples, mas traz consigo a audácia de garantir uma “recuperação justa, verde e digital”.
 

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

Uma terra prometida, Barack Obama, Objectiva

O novo livro de Barack Obama é um testemunho pessoal inspirador. Nele fala-nos do seu improvável trajeto, desde a busca da sua própria identidade ou a formação das suas convicções políticas, até à vitória nas eleições presidenciais e às dificuldades no exercício do cargo. Confidenciando as suas dúvidas e angústias, mantém firme a sua convicção de que o progresso é sempre possível. E só assim vale a pena estar na política, quando se acredita que é possível fazer melhor.

Pedro Marques

Twitter Facebook

Se não conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informações consulte a página dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui