28 de maio de 2021
 

O Parlamento Europeu, através da sua Comissão de Direitos, Liberdades e Garantias (LIBE), deu esta semana luz verde ao acordo provisório estabelecido com o Conselho no quadro da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, para a adoção de um Certificado Digital Covid da UE que facilite a livre circulação na Europa durante a pandemia, de forma segura e acessível. Após o voto na LIBE, o acordo será votado na próxima sessão plenária e vigorará por 12 meses após a sua publicação no Diário Oficial da União Europeia, permitindo que o certificado entre em vigor a 1 de Julho.

Carlos Zorrinho

Twitter Facebook

Depois da inaceitável aterragem forçada, que pôs em perigo a segurança aérea, de um voo da Ryanair em Minsk, na Bielorrússia, e subsequente prisão por parte das autoridades locais do jornalista Raman Pratasevich e da sua companheira Sofia Sapega, a União Europeia apelou ao reforço das sanções àquele país, bem como, a que todas as companhias de aviação evitassem sobrevoar o espaço aéreo Bielorusso. O resultado pode ser observado na imagem de tráfego aéreo europeu, onde se pode ver o isolamento da Bielorrussia, consequência das ações do ditador Lukashenko, que devemos combater em nome da Democracia, da liberdade de expressão e do respeito pelos Direitos Humanos.

Isabel Santos

Twitter Facebook

O S&D organizou um webinar sobre a situação dos trabalhadores da Amazon, o gigante do retalho digital. A monitorização repressiva a que esta multinacional sujeita os seus funcionários, por meio de uma panóplia de câmaras, scanners e intervenções de IA, ilustra bem o risco da desumanização do trabalho à espreita na transição digital e o vazio regulatório hoje ocupado pelo e-commerce. O S&D tem defendido um esforço de regulação ao nível europeu (e global) como a única forma de assegurar uma transição digital justa, que não seja feita à custa da degradação de milhões de trabalhadores.

Manuel Pizarro

Twitter Facebook

É hora da última ditadura da Europa acabar

O desvio do avião da Ryanair em espaço aéreo da UE, sob o falso pretexto de uma ameaça de bomba, teve como único objetivo por parte das autoridades bielorrussas, prender o jornalista Roman Protasevich. Tratou-se pois de sequestro, quer de um avião em espaço aéreo europeu, quer de um jovem jornalista e da sua namorada. As subsequentes imagens do rosto violentado de Roman não enganam, apesar do óbvio esforço para disfarçar a brutalidade.

É desta forma aviltante que o regime de Lukashenko trata os que ousam criticar a ditadura do país e mostra o seu desrespeito pela própria UE, enquanto espaço que respeita as regras do Estado de Direito e do Direito Internacional. As sanções aplicadas pela União desde 2004 claramente não têm sido eficazes para vergar a ditadura. É tempo da UE, a uma só voz forte e coesa, responder com medidas concretas, quer contra este ato que atenta contra as liberdades individuais, quer contra o regime bielorrusso. É hora da última ditadura da Europa acabar, libertando os seus homens e mulheres do jugo que os oprime.

Isabel Estrada Carvalhais

Twitter Facebook

"Só não sei porque não convidaram o PNR, já agora. Também era bem-vindo, pelos vistos."

David Justino, Sociólogo e Vice-presidente do PSD, Entrevista Público/ Rádio Renascença

A frase foi proferida por David Justino e referia-se à convenção do MEL, Movimento Europa e Liberdade. Aliás, acrescentou que se tivesse sido convidado, não iria. Ora, Rui Rio acha e fez exatamente o contrário, percorrendo disciplinadamente o caminho que já tinha iniciado de normalização do Chega. Honra lhe seja feita: David Justino está certo. Rui Rio está (muito) errado.

Pedro Marques

Twitter Facebook

Quando pensamos na indústria da defesa, ocorrem-nos imagens que vemos em filmes de enormes veículos e fábricas de armamento. Mas nem tudo na defesa é de grandes dimensões. Cada vez mais, startups e PMEs têm um papel fundamental neste setor. Foi o que discuti esta semana num seminário sobre Economia de Defesa Europeia, organizado no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da UE.

Maria Manuel Leitão Marques

Twitter Facebook

O comovente vídeo de uma voluntária da Cruz Vermelha Espanhola abraçando um imigrante senegalês que atravessou o mar para chegar ao enclave espanhol de Ceuta é um poderoso testemunho do drama vivido por milhares de seres humanos que enfrentam os perigos do Mediterrâneo em busca de uma vida melhor. Esta imagem, tão injustamente criticada nas redes sociais, lembra-nos o mais importante: nenhuma resposta ao problema da imigração será humanista se não for solidária.

Pedro Silva Pereira

Twitter Facebook

O Mundo Não Tem de Ser Assim: Biografia António Guterres, Pedro Latoeiro e Filipe Domingues, Leya-Casa das Letras

Esta biografia tem para mim um especial interesse. Pela pessoa. Pelo percurso. Pelas minhas funções na task-force que coordenou a candidatura de Guterres a SG das Nações Unidas. Tive o gosto de ser uma das 122 entrevistadas pelos autores. Sobre a sua contribuição para a política nacional, a biografia não traz nada de novo. Sobre o seu trabalho como ACNUR, é extraordinário perceber a sua dimensão humanista e eficaz capacidade de persuasão política junto dos líderes políticos. Com Guterres souberam que é possível lidar com os refugiados no mundo de forma mais humana, que é possível lidar com diversidade. Quis saber como é que o Islão protege as pessoas. Conseguiu fazer aprovar a Convenção de Kampala (alarga aos deslocados direitos dos refugiados). Sobre a sua campanha para SG das Nações Unidas, percebe-se bem porque foi escolhido e porque teve desde logo a unanimidade dos P5 (membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas).

Margarida Marques

Twitter Facebook

Se não conseguir visualizar correctamente este email clique aqui

Para mais informações consulte a página dos Socialistas Portugueses no Parlamento Europeu: http://www.pseuropa.pt/web/
Para remover o seu email desta mailling list por favor clique aqui